Atendimento 24h - 0800 007 4141
Voltar

Blog


Porquê Morremos? Parte 1

Dá uma olhada nesses mitos!

 

1. O Deus Coyote


Esse mito tem origem no povo Caddo, nativo do Texas. Segundo eles, quando o homem foi criado, todos viviam para sempre.

Eles então começaram a se preocupar com os problemas de superpopulação. Os chefes decidiram se reuniro com o tal Deus Coyote para poder resolver esse problema. Todos queriam uma morte temporária, na qual as pessoas pudessem voltar depois de um tempo. De tal forma a dor e a tristeza no mundo seriam inexistentes.

Entretanto, Coyote defendia a morte permanente, porém seu voto foi minoria e a decisão de morte temporária foi a vitoriosa. Assim as pessoas voltariam à vida apenas quando os espíritos delas fossem chamados através de uma pequena cabana.

Quando chegou a hora das primeiras pessoas retornarem, Coyote bloqueou a entrada da cabana. Forçados a vagar sem rumo, os espíritos encontraram uma outra terra e a morte, então, tornou-se permanente.

O arrependimento apenas chegou a Coyote quando seu filho foi mordido por uma cobra e o curandeiro disse que não havia salvação. Ainda assim, no momento de dor do Coyote, seu irmão lhe disse: "Não se esqueça de que foi você que queria que acabasse assim.".

 

2. Yaramurud e sua mãe


Trata-se de um mito oriundo dos nativos das Ilhas Andamão, no Índico.

A história diz que o primeiro a morrer foi um homem chamado Yaramurud. Ele vivia com sua mãe e irmão em uma cabana. Certo dia depois de uma caçada mal sucedida, sua mãe deu-lhe um pouco de carne de porco e, ao pegar a faca em suas costas, acidentalmente se cortou profundamente.

Sua mãe, em revolta, disse: "Você está morto! Você tem que ir agora, nós não queremos mais você aqui!". Assim, ela e seu outro filho, sepultaram Yaramurud na floresta. Contudo, ele não havia morrido, ele saiu de sua sepultura e voltou para casa dizendo: "Mãe, eu não morri. Por que me enterrou?"

Ela então respondeu: "Achei que você estivesse morto!". A mãe de Yaramurud ainda tentou enterrá-lo mais duas vezes, mas ele sempre voltava. Farta da situação ela levou-o para a floresta, chutou uma árvore oca, pediu que ele entrasse na árvore e questionou-o se consegui ouvir os espíritos. Yaramurud disse que podia e ela então declarou que ele finalmente estava morto.

Poucos dias depois, Yaramurud retornou como um espírito, matou seu irmão Toau. A morte então foi trazida ao mundo e todos foram destinados a morrer como Yaramurud.

 

3. Os humanos que ajudaram a Morte


É um mito contado pelas pessoas que viviam às margens do lago Kivu, na África do Sul. Segundo o mito, Deus criou o mundo para que todas as pessoas fossem imortais, mas a morte rondava, brigando com os humanos. Deus então passou a rondar a Morte, evitando que ela colocasse as mãos em seus filhos.

Deus teve que se ausentar por alguns dias, nesse período a Morte aproveitou e matou uma mulher. Deus se enfureceu e passou a perseguí-la. A Morte pediu à uma mulher para que pudesse se esconder em sua saia, a mulher consentiu. Quando Deus finalmente encontrou a Morte, ela entrou no corpo da mulher, esse ato fez com que Deus também ficasse bravo com a mulher e deixou-a morrer.

Esse acontecimento foi se repetindo até que Deus decidiu que não valia a pena deixar as pessoas imortais. Assim ele deixou que a Morte fizesse o que gostava e agora ela é livre para se apossar de todos.

 

4. Espíritos animais vs. Lua


Um mito vindo dos povos aborígenes da Austrália. Nele as origens da morte aparecem em diversas versões, muitas delas possuem a Lua como grande protagonista.

Em uma das versões comuns, os espíritos estavam criando o mundo pediu para ser como um deles e poder renascer a cada mês. No entanto esse espírito queria que a morte fosse permanente, inclusive para os seres humanos e assim foi feito.

Em uma outra versão, um Gambá bate na Lua com um pedaço de madeira. Ela revida com uma lança e uma maldição: "Todas as pessoas que Vêm depois de mim, as gerações futuras, quando morrerem, morrerão para sempre.".

 

5. As dívidas de Alatangana com Sa


Segundo o povo do Kono da Guiné, a origem da morte está estritamente ligada à origem da vida.

Quando o Deus Sa (morte) começou a criar o mundo, ele morava com sua esposa e filha em uma extensão de terra que só tinha lama escura. O Deus Alatangana ficou indignado com a situação, solidificou a lama e fez crescer plantas.

Sa ficou eternamente grato e pediu que Alatangana ficasse como seu convidado. Ele ficou e se apaixonou pela filha de Sa. Depois de um tempo, Alatangana pediu a mão da filha em casamento, mas Sa nõa permitiu, pois tinha feito o mundo para sua filha.

Alatangana e a filha de Sa fugiram então e tiveram 14 filhos (7 meninos e 7 meninas, a cada 4 com a pele clara 3 eram de pele escura, falando diferentes línguas - uma maldição jogada por Sa devido à Alatangana ter roubado sua filha - considerados assim como os primeiros da raça humana). Porém o mundo continuava sem luz, Alatanagan não sabia como criar a luz e queria peria ajuda a Sa, mas ao mesmo tempo não queria enfrentar o sogro.

Assim, mandou dois pássaros para descobrir e eles voltaram com a resposta. Alatangana devia simplesmente cantar duas canções. O Deus achou que era mentira, mas aos pássaros cantarem, a luz realmente veio.

Sa então colocou Alatangana em dívida consigo e como pagamento pediu que fosse capaz de tomar as almas dos descendentes de Alatangana, e essa seria a razão pela qual a morte existe.

 


Fonte: Mega Curioso

 

 


Cadastrado em: 02/07/2019

Matriz Salgueiro PE

Rua Francisco de Sá, 111
Santo Antônio - PE
Telefone: (87) 3871-1183

Promoção SAF Premiado

Certificado de Autorização
Regulamento

Polo Petrolina PE

Avenida das Naçoes, 131
Centro - PE
Telefone: (87) 3861-2956

Polo Feira de Santana BA

Centro de velório Noide Ferreira
de Cerqueira, 4044, Bairro Sim
Telefone: (75) 3626-0585

Polo Paulo Afonso BA

Avenida Otaviano Leandro
de Morais, 641B, Centro - BA
Telefone: (75) 3281-9852
Copyright© 2019 - Rede SAF Todos os Direitos Reservados